Notícias

Fevereiro/2016

Clique nas notícias

Março/2016

Clique nas notícias

Boletim de cunicultura

ACBC PUBLICARÁ BOLETIM DE CUNICULTURA

Março/2016

Embora não tenha ainda data para lançamento, a ACBC publicará em breve o boletim de cunicultura, o qual apresentará informações diversas sobre a atividade e sobre o mercado, objetivando maior integração entre escolas, fábricas, técnicos e produtores e mercado consumidor. Esse boletim vai conter informações que atualmente são publicadas na Revista Brasilera de Cunicultura, a qual passará a publicar artigos científicos, de extensão e relatos de caso.

Eleições ACBC

ELEIÇÕES PARA NOVA DIRETORIA DA ACBC

Março/2016

A diretoria da ACBC informa que realizará eleições para o triênio 2016-2019 e que o processo eleitoral vai de Março a Maio deste ano. Maiores informações bem como o calendário podem ser obtidos clicando aqui.

Evento em Lavras

EVENTO DIVULGA A CUNICULTURA EM LAVRAS/MG

Fevereiro/2016

 

O primeiro PET na Praça deste ano foi realizado no último domingo do mês de fevereiro (21/2) e foi promovido pelos estudantes do PET de Medicina Veterinária da Universidade Federal de Lavras (UFLA). A finalidade foi de orientar a comunidade de Lavras e região em diversas temáticas da área, levando informações à comunidade acerca de assuntos de relevância social. Nessa oportunidade, foi abordado o assunto de cunicultura.

Os integrantes do grupo foram a praça Dr. Augusto Silva, em Lavras, entre às 9h e 13h, levando informações à população sobre a criação de coelhos, havendo distribuição de panfletos, nota técnica para iniciantes, degustação de carne de coelho, vídeos demonstrativos relacionado ao tema e apresentação das principais raças e suas aptidões.

 

 

 

 

Nota tecnica para iniciantes

ACBC PUBLICA NOTA TÉCNICA COM INFORMAÇÕES PARA INICIANTES

Fevereiro/2016

 

Devido a grande procura pela cunicultura ns últimos meses o prof. Luiz Machado, atual presidente da ACBC, escreveu uma nota técnica a respeito do início da criação, com várias dicas de interesse. Para acessar esse material clique aqui.

Programaçao congresso mundial

PROGRAMAÇÃO DO CONGRESSO MUNDIAL - CHINA 2016

Fevereiro/2016

 

A presidencia do 11º Congresso Mundial de Cunicultura, a ser realizado em Qingdao - China, entre os dias 16 e 18 de Junho deste ano, apresentou a programação do evento. Haverá palestras dos mais variados assuntos bem como mesas de discussão, apresentações de trabalhos, dentre outros. Para acessar ao site do evento clique aqui. Para baixar a programação do evento clique aqui.

Marcos Kac fala sobre consumo

MARCOS KAC FALA SOBRE CONSUMO DE CARNE

Fevereiro/2016

 


O Médico Veterinário Marcos Kac, membro da ACBC, falou no programa "Dia a dia rural" no canal Terraviva. Destacou, dentre outras, o quanto a produção de carne de coelho cresceu nos últimos anos e que a carne ainda é cara mas que o preço se manteve nos últimos anos. Destacou a elevada qualidade da carne bem como seus benefícios. O vídeo pode ser acessado em: http://tvuol.uol.com.br/video/dia-dia-rural-carne-de-coelho-ainda-e-pouco-consumida-no-brasil-04024C1A3960C0815326

Nova planta coelho real

NOVO FRIGORÍFICO DA COELHO REAL

Fevereiro/2016

 

A Coelho Real, maior frigorífico especializado em coelhos no país, informa que já está abatendo animais em sua nova planta localizada na cidade de Mairinque-SP, desta vez em sua sede própria, com abatedouro construído exclusivamente para coelhos e seguindo todas as normas sanitárias e de abate humanitário, utilizando o que há de mais moderno para abate de coelhos no país. Segundo Marcos Kac, Médico Veterinário e proprietário, este frigorífico tem capacidade de abate para mais de 150 mil coelhos/mês, e que o número de animais abatidos é ainda muito inferior a este valor. Ressalta que embora a oferta de animais seja baixa, o mercado está em amplo crescimento no Brasil.

Diante disso, a empresa informa que está precisando de novos produtores para suprir tanto o mercado que já existe, quanto novos mercados. Há também a possibilidade de exportação, pois o frigorífico tem estrutura e qualidade para tal. Marcos ainda indica a visita ao site www.coelhoreal.com.br para que se possa ver algumas fotos e obter mais informações desse empreendimento, que será um marco importante para a cunicultura brasileira.

Cunicultura e repovoamento

CUNICULTURA E REPOVOAMENTO

Fevereiro/2016

O equilíbrio dos ecossistemas é fundamental para a sociedade e para preservação das espécies. O coelho ocupa lugar chave para equilíbrio de várias cadeias alimentares.

Embora não seja atividade comum no Brasil, nos países mediterrâneos, a cunicultura apresenta outra utilidade além das já conhecidas, produz animais para repovoamento de áreas desequilibradas. Essa atividade é muito importante para reestabelecimento de ambientes desestruturados pela ação do homém ou por doenças animais graves. Esses animais são criados em granjas cinegética que são especializadas na reprodução de espécies de caça ou destinadas a soltura ou repovoamento.

Os sistemas de criação são totalmente diferentes e devem obedecer a algumas normas específicas. Os índices produtivos são bastantes inferiores quando comparados a aqueles observados na cunicultura tradicional. Para maiores informações sobre essa modalidade, clique aqui (trabalho publicado em espanhol).

Sugestao de normas

SUGESTÃO DE NORMAS PARA REALIZAÇÃO DE EXPERIMENTOS COM COELHOS

Janeiro/2016

Quando pesquisadores realizam seus experimentos uma dúvida que costumam ter está relacionada com o número de animais necessário. Por um lado se deve ter um número mínimo de coelhos para que os resultados sejam confiáveis. Esse número não pode ser muito elevado, haja vista os elevados custos para execução dos experimentos, além de questões de ética animal.

Para coelhos os documentos que podem ser consultados para tal fim estão disponíveis no site da Revista Mundial de Cunicultura e podem ser acessados através do link: http://www.wrs.upv.es/guides_and_harmonised_methods.php.

Falta raçao

FALTA RAÇÃO DE BOA QUALIDADE EM DETERMINAS REGIÕES

Janeiro/2016

A questão da ração na granja cunícula é um tema de grande interesse para os cunicultores, haja vista que a alimentação pode representar cerca de 60% dos custos gerais. Contudo, grande parte das rações não é formulada considerando as exigencias nutricionais dos coelhos, o que contribui para queda no desempenho produtivo dos animais. Há rações de boa qualidade que muitas vezes não chegam a ser vendidas nas regiões dos cunicultores.

Concordando com a afirmativa acima, na região de Ribeirão Preto por exemplo, cunicultores relatam que não encontram um lugar que venda ração de qualidade mínima e quando a vendem é pouca quantidade sendo ainda o preço bem alto. Conforme citado, o problema é agravado porque as fábricas não vendem diretamente aos produtores, a não ser que seja uma carga fechada de um caminhão.

A ACBC informa que informações sobre formulação de rações para coelhos estão disponíveis no manual de formulação. Um grupo de cunicultores poderia buscar um fábrica e solicitar que formulem conforme as informações deste manual. Além disso, é necessário que os cunicultores se organizem para realizar compra coletiva de maior quantidade, o que deverá proporcionar queda significativa no preço por quilo.

Consulta publica CONCEA

ACBC COLABORA PARA A CONSULTA PÚBLICA DO CONCEA

Janeiro/2016

A ACBC enviou sugestões para o CONCEA relacionadas à consulta pública sobre "Procedimento - Roedores e Lagomorfos mantidos em instalações de instituições de ensino ou pesquisa científica". Enviou também um ofício que apresenta uma rápida explanação sobre o problema de considerar os coelhos mantidos nas escolas para produção de carne ou animais de estimação, conjuntamente com os roedores utilizados em pesquisas biológicas de biotério.

Ressaltamos que essa atividade de pesquisa biológica realizada nos biotérios é de extrema importância para a sociedade, mas que as instituições apresentam outros modelos distintos que devem ser considerados a parte.

Enriquecimento ambiental

Nota Técnica - Como enriquecer as gaiolas dos coelhos gastando pouco


Por: Luiz Carlos Machado

Professor do IFMG Bambuí

E-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

 

Para baixar essa nota técnica em PDF, com figuras, clique aqui

 

 

 

A domesticação dos coelhos, apesar de ser recente, já apresentou grande impacto no comportamento desses animais que quando enjaulados apresentam limitada liberdade de movimento, contribuindo assim para se elevar o tempo de descanso e a ocorrência de problemas relacionados ao sistema locomotor, além de favorecer a perda da capacidade de saltar. Além disso a observação de comportamentos anormais, chamados estereotipados, tais como morder a gaiola ou raspar o seu canto, ou sinais de inquietação, indicam alguma desordem comportamental. Na realidade faltam oportunidades para que os animais realizem outros tipos de comportamentos neste pequeno ambiente.

Os coelhos mantidos nos galpões de cunicultura normalmente ficam em gaiolas de arame e não tem qualquer atividade para entretenimento, contribuindo para estado de ócio e para a ocorrência dos problemas relatados anteriormente. Infelizmente a margem de lucro dos cunicultores é muito baixa o que reduz o capital para investimento em melhorias para o sistema. Nos últimos anos muito tem se falado em bem-estar animal e cedo ou tarde a atividade produtiva terá que se adaptar a certas normas e critérios, ainda não estabelecidos no Brasil.

Há que se considerar também que a utilização dos coelhos como animais de estimação (pet) gera um problema relacionado ao alojamento desses animais, que não podem ficar todo o tempo soltos, pois podem roer móveis, comer plantas, urinar/defecar em locais inadequados e poder ser molestados por outros animais. Infelizmente as atuais gaiolas disponíveis no mercado não são adequadas, sendo pequenas e não oferecendo opções de entretenimento aos animais.

Dessa maneira é importante que sejam apontadas medidas para enriquecimento das gaiolas, as quais serão muito importantes para melhoria da qualidade de vida dos coelhos pet bem como para os coelhos criados em galpões. Essas opções serão apresentadas resumidamente a seguir, sendo somente consideradas as de baixo custo.

  1. Bloco de madeira para roer. O coelho é um animal que apresenta dentes incisivos de crescimento contínuo havendo sempre a necessidade de desgasta-los, o que o animal realiza também quando está ingerindo a ração. Além disso alguns animais sentem a necessidade de roer coisas diversas, sendo isso hábito comum do animal. A adição de um bloco de madeira é uma alternativa barata que pode ser interessante para isso. Este bloco de madeira também pode ser afixado à lateral da gaiola.

 

  1. Latas vazias de alumínio. São uma solução bastante barata para enriquecer o ambiente do animal e após se acostumarem com o objeto e com o barulho, brincarão com o mesmo, utilizando para isso o seu focinho. Alguns animais também o morderão.  Quando se perceba que o material está desgastado ou rasgado, deve-se substitui-lo afim de se evitar ferimentos.

 

  1. Balancinho de madeira ou de PVC. É uma excelente fonte de enriquecimento, que pode ser dependurado ao teto da gaiola pelas duas extremidades (como um pequeno pedaço de cabo de vassoura). Os animais brincarão com o mesmo utilizando o focinho. Se tem percebido, através de pesquisas, que o melhor material para isso é a madeira, material de grande preferência pelo animal.

 

  1. Prato dependurado. Também é interessante pois os animais brincam com este objeto, colocando a cabeça abaixo e tocando-o. Pode-se usar para isso um prato esmaltado amarrando-o a uma corrente ou arame que deve estar preso ao teto da gaiola.

 

 

  1. Corrente de aço. É uma forma de enriquecimento muito barata onde este material será dependurado no teto. Os animais tocarão a corrente e caso esta encoste no piso da gaiola se fará barulho, o que chamará a atenção do animal.

 

 

  1. Plataforma para descanso podal (repousa patas). Conforme alguns especialistas em sanidade cunícula, este objeto deveria ser obrigatório devido à sua importância para a saúde e bem-estar dos animais. No Brasil não são vendidas plataformas específicas para coelhos embora se possam adaptar algumas utilizadas em suinocultura. Caso sejam feitas com madeira, atenção especial deve ser dada à limpeza da plataforma.

 

  1. Plataforma elevada. É uma plataforma de arame ou chapa de aço adicionada à gaiola dos animais, proporcionando mais espaço para a matriz bem como local de escape quando os filhotes começam a sair do ninho, pois incomodam a coelha quando tentam mamar. Essa forma de enriquecimento deve ser considerada quando na montagem da gaiola ou caso esta já esteja pronta, pode-se adaptar materiais diversos. Os animais mantem preferência também pelo local abaixo da plataforma.

 

 

  1. Tubo de PVC para esconderijo. Naturalmente os coelhos gostam de se abrigar durante o dia e proporciona-lhes um esconderijo pode ser uma excelente alternativa para a melhoria do seu bem-estar. Nota-se que os filhotes quando saem do ninho mantém grande preferência por este local. O tamanho ideal do tubo é de 150mm (diâmetro) por 300 mm (comprimento) podendo este variar. Este tubo deve ser afixado ao canto da gaiola e não permitir movimento. Normalmente os animais não defecam ou urinam dentro, mas caso aconteça deve-se proceder a limpeza.