Preços comumente praticados em Cunicultura

 

 

 

Por: Luiz Carlos Machado

Professor do IFMG Campus Bambuí

 

 

 

  A cunicultura é atividade estratégica, pois o coelho apresenta um amplo conjunto de características que fazem dele um excelente modelo para pesquisa, produção de alimentos, fornecimento de pele, animal de estimação, dentre outros. Há a possibilidade de aproveitamento de quase tudo gerado pela atividade produtiva. Deve-se chamar a atenção para o fato de que muitos desses subprodutos são de comercialização muito difícil, conforme a região geográfica.

  Um dos temas menos explorados no meio da cunicultura é a questão dos preços praticados. Não se tem notícias de documentos que buscam informar ou sugerir valores médios praticados na exploração deste animal. Dessa forma, esse documento visa apresentar os valores de produtos, co-produtos e subprodutos possíveis a partir da atividade de exploração no Brasil.

  A seguir serão descritos alguns preços médios e variações observadas a partir da informação obtida em vários estados. Deve-se chamar atenção para o fato que os preços utilizados podem variar, bem como estarem abaixo ou acima dos valores aqui propostos. Para determinação dos preços médios, pelo menos quatro informações foram utilizadas.

 

  1) Venda de animais vivos

  Coelho vivo para abate

  Os poucos abatedouros existentes preferem animais que pesam entre 2,3 a 3,0 kg, podendo variar. Alguns abatedouros preferem animais acima de 2,5 kg, descontando 10% no valor pago, caso os animais estejam entre 2,2 e 2,5 kg.

  O valor médio coletado foi de R$4,90 por kg de coelho vivo. Os valores variaram de R$ 4,50 a R$ 5,50. Deve-se chamar atenção ao fato de que os animais perdem peso durante a viagem. Esta perda de peso é de cerca de 3-5% em viagens de curta distância, 7-8% em viagens de 400km e 12-13% em viagens de 1.200km. Essa perda de peso deve ser considerada pelo cunicultor. Conforme o frigorífico, o mesmo pode cobrar uma taxa de R$ 2,00 do interessado para abate dos animais, podendo essa taxa variar.

 

  Coelhos vivos sem raça definida (SRD) para revenda em casas agropecuárias.

  É muito comum o pequeno cunicultor vender animais às casas agropecuárias. Nesta situação, é comum o estabelecimento revender os animais por até o dobro do preço pago. Nessa situação o cunicultor vende um número maior de animais por vez. Não se tem muitas informações sobre os valores praticados por esses pequenos cunicultores, embora seja comum o valor de R$ 5,00, sendo o valor de revenda de R$ 10,00. Em certas casas agropecuárias ou ainda em Pet Shops, os animais de raças anãs podem ser vendidos por cerca de R$ 20,00 e revendidos por cerca de R$ 40,00.

  Animais SRD ou Nova Zelândia Branco (NZB) vivos vendidos separadamente

  Para venda individual de animais SRD, os preços são muito variados. Os filhotes são vendidos em valores que variam de R$ 8,00 a R$ 20,00. Animais adultos SRD ou NZB são vendidos em valores que variam de R$ 6,00 o kg (R$ 18,00 por animal de 3 kg) até R$ 50,00 por animal.

 

  Animais de raças definidas vendidos separadamente

  Nesta categoria os valores variam muito. É comum se verificar o valor de R$ 80,00 para um filhote de raça anã. Para filhotes em geral, os valores variam de R$ 50,00 a R$ 100,00. É comum que reprodutores de raças anãs ou gigantes sejam comercializados por valores mais altos, tais como R$ 200,00 ou até R$ 400,00 para um bom reprodutor gigante.

 

  2) Venda de carne e produtos cárneos

  Carne de coelho inteiro

  Para a carne de coelho, vendida na forma de “coelho inteiro”, os valores observados variam de R$ 8,00 a R$ 24,00, sendo o valor médio observado de R$ 14,40. Esses dados foram obtidos a partir de 13 diferentes locais, dentre instituições de ensino e pesquisa, que oferecem carne a baixo custo, e frigoríficos/cunicultores, que oferecem o produto a um preço mais elevado.

  Deve-se entender aqui que as instituições não visam lucro econômico e que grande parte delas oferece esse produto para contribuir para divulgação da carne. Muitos cunicultores não poderiam vender essa carne ao mesmo preço, haja vista que inviabilizaria a produção. De qualquer forma, fica caracterizado que a carne de coelho apresenta alto valor comercial, podendo seu consumo ser ainda considerado como “elitizado”.

 

  Outros produtos cárneos

  No Brasil quase não se comercializa a carne de coelho em cortes ou processada. A carne de coelho inteiro desossado é vendida, em determinado local, a R$ 40,00 o kg. Pode ainda ser utilizada para confecção de molho pronto para pizzaria, sendo vendido a R$20,00/kg. Com o fígado do coelho, pode ser feito patê, sendo comercializado a R$ 35,00/kg.

 

  3) Venda de peles e pêlo

 

   Peles frescas sem curtimento

  As peles frescas podem ser comercializadas para interessados que vão curtir o material. Há cunicultores que fazem o curtimento, além de cunicultores que pagam cerca de R$ 3,00 a 5,00 para que cada pele seja curtida. O preço médio da pele fresca congelada é de R$ 2,25, sendo esse valor obtido a partir de 8 observações. Os valores variam de R$ 1,00 a R$ 3,00 por pele.

 

  Peles curtidas

  O preço da pele curtida é muito variável, principalmente em função da qualidade de processamento. O preço utilizado para a comercialização das peles curtidas varia de R$ 5,00 a R$ 30,00. O preço médio é de R$ 15,80.

 

 Pêlos

  Atualmente o mercado da lâ obtida a partir de coelhos angorá não é bom, sendo extremamente restrito. Cada animal proporciona cerca de 140-150g, por tosa, podendo ocorrer três tosas por ano. O quilo da lâ de boa qualidade é comercializado a R$ 100,00.

 

  4) Outros Subprodutos

  Não basta ao cunicultor ser eficiente para produzir, ele deve procurar comercializar tudo o que for gerado de sua atividade produtiva. Mesmo assim, conforme mencionado, a comercialização dos subprodutos pode ser extremamente difícil. A seguir são descritos alguns subprodutos comercializados em alguns locais do país.

 

  Patas frescas

  As patas frescas são comercializadas por R$ 0,20 a R$2,00 a unidade, sendo a mesma vendida limpa e congelada.

 

  Patas vendidas como chaveiros

  As patas prontas para serem vendidas como chaveiros podem ser comercializadas em valores de R$ 3,00 a R$ 4,00.

 

  Rabo

  O rabo do coelho pode ser comercializado a R$ 2,50 a unidade limpa.

 

  Esterco curtido

  O esterco de coelhos é um fertilizante de boa qualidade, apresentando boa relação entre nitrogênio, fósforo e potássio, sendo muito apreciados pelos horticultores. A forma de comercialização é muito variada, sendo vendido por kg, pacotes ou metros cúbicos. O quilo do esterco pode variar de R$ 0,40 a R$ 2,00. O metro cúbico pode ser vendido a R$ 150,00.

 

  Sangue

  O sangue do coelho pode ser comercializado em valores que variam de R$ 100,00 a R$ 130,00 o litro, sendo esse mercado muito restrito.

 

  Orelha

  As orelhas pré-cozidas e defumadas, usadas como petiscos para cachorros, podem ser comercializadas em pacotes com 10 unidades, em preço de R$ 2,50 a R$ 5,00/pc conforme a época.

 

  Vísceras

  As vísceras obtidas a partir do abate dos coelhos podem ser comercializadas por R$ 0,50 por cada animal abatido.

 

  Cérebro

  O mercado de venda de cérebros de coelho é extremamente restrito. O preço pago por kg varia de R$ 50,00 a R$ 100,00.

 

  Bexiga cheia (urina)

  Uma bexiga cheia, amarrada e resfriada pode ser comercializada por R$ 0,25.

 

 

  Olhos

  Os olhos de coelhos podem ser comercializados a R$ 2,00 a unidade.

 

 Tabela 01 - Resumo dos preços comumente praticados em cunicultura

*Para determinação do preço médio, pelos menos quatro observações foram utilizadas. Quando não se obteve esse número, o valor é apenas sugerido.

**Pode variar muito conforme a raça do animal.

 

 

Colaboraram para esse trabalho

Aloíse Lima - MG

Berilo Brum - RS

Irany Zolin - RS

Jenisvânia Cavalcante - RN

Marcelo Tigre - PE

Marcos Kac - SP

Maurício Moreira - MG

Vilmar Masson - SC

Vitor Costa - RS

Yuri Jaruche - MG

 

    Download do arquivo em .pdf clique aqui